No dia 22/10, o diretor do departamento de banda larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, Artur Coimbra discursou no 60º Painel Telebrasil, um dos mais tradicionais encontros de posicionamento do setor de telecomunicações, em que falou sobre as intenções do governo em criar uma nova categoria na tabela do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel) para antenas de satélite.

Os valores praticados hoje pelas empresas de acesso a internet via satélite são muito altos. Artur deu como exemplo,  o gasto de um consumidor com acesso de 3Mbps que é em torno de R$ 3.500,00/mês. Em países como os EUA e na Europa, uma conexão de 5Mbps varia entre R$ 72,00 e R$ 134,00.

artur-coimbra

Crédito: Ascom/MCTIC

Artur (foto anterior) declarou também, que até oito novos satélites da banda Ka (*), de alta capacidade, entrarão em operação no Brasil, até 2018. Com isso, espera-se que a redução dos valores em arrecadação sejam compensados com o aumento de assinantes de banda larga via satélite.

Hoje o total de assinantes de barda larga via satélite é de apenas 0,03% do total. A rede de banda larga móvel está com 88,38% dos assinantes e a banda larga fixa com 11,59%.

Com estas declarações, pode-se vislumbrar um novo horizonte em fomentos a pesquisas de antenas de micro-ondas, ambiente onde os pesquisadores do LabMax estão bem familiarizados, o que traz a nossos alunos, pesquisadores e parceiros, grandes oportunidades.

(*) Banda Ka – faixa do microondas entre 27 e 40 GHz.

Fonte : Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC)

Share

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: